O MOVIMENTO DA REFORMA – 31 de Outubro de 1517

  1. O MOVIMENTO DA REFORMA

 

Diversos homens de Deus tentaram corrigir a igreja antes da Reforma, e muitos foram mortos pela própria igreja.

Surgiu Martinho Lutero, que era um padre e professor da Universidade de Wittenberg. Através de um profundo encontro com Jesus, enquanto estudava o livro de Romanos, ele entregou sua vida ao Senhor Jesus e teve uma maravilhosa experiência de conversão.

Lutero pregava o evangelho verdadeiro de Jesus, e era um padre muito dedicado. A sua intenção nunca foi deixar a Igreja Católica Apostólica Romana, mas ajudá-la a voltar às suas raízes e ser uma igreja bíblica, que segue a Palavra de Deus. Até então, em hipótese alguma ele queria se desligar da igreja romana.

Lutero ficou muito revoltado quando apareceu, lá na Alemanha, onde ele morava e pregava, em Wittenberg, um homem chamado de Tetzel. Isto foi em 1517. Esse Tetzel era agente do arcebispo Alberto. Ele foi “abençoado” pelo Vaticano para vender indulgências. O Vaticano iria construir sua nova sede, a basílica de São Pedro. A igreja vendia essas indulgências, o que significa que as pessoas poderiam comprar um documento que prometia “perdão completo de todos os pecados”. Tetzel falava abertamente que o arrependimento não era necessário. Se comprassem as indulgências, os pecados seriam perdoados automaticamente e a salvação garantida.

Tetzel falava: “Se você tem um parente que morreu, você pode comprar uma indulgência para ele”. E dizia ainda mais: “Na hora que o dinheiro estiver batendo no cofre da igreja, mais uma alma estará escapando do purgatório”. Isso foi muito pregado naquela época. Você vê que coisa triste, a que ponto chegou a igreja romana!

Martinho Lutero, aquele padre tão piedoso, ficou super revoltado e disse: “Isto é completamente contra a Palavra de Deus!” Isso o levou, em 31 de Outubro de 1517, a pregar as 95 Teses na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg, na Alemanha. Ele pregou essas teses lá porque a porta da igreja era como se fosse uma emissora de rádio ou um jornal de atualidades da época, aonde as pessoas iam para se informar das coisas que estavam acontecendo no meio em que viviam. Lutero teve a audácia de mostrar as 95 teses e, além do mais, expor sua opinião sobre as coisas erradas que a igreja pregava, inclusive sobre as indulgências.

A história se repete, infelizmente, hoje em dia, mesmo que não se use mais a nomenclatura “indulgência”. Já ouvi falar que na igreja romana estão considerando a possibilidade de venderem indulgências novamente. É uma atitude, aos meus olhos, muito triste, ainda mais porque alguns evangélicos também dão a entender que se você der uma grande soma em dinheiro, poderá receber bênçãos muito especiais de Deus.

Eu não posso julgar a motivação do coração das pessoas. Mas muitas delas, talvez por falta de conhecimento da Palavra, até mesmo de maneira sincera, pregam as heresias mais absurdas. Este é o caso do Tetzel, que com a bênção do arcebispo Alberto e do Vaticano, estava pregando a venda de indulgências naquela época.

Martinho Lutero falou: “Isto é muito errado”, e começou a pregar a verdade, dizendo: “A cura, a salvação, as bênçãos financeiras e as demais bênçãos de Deus não podem vir através de compra. Elas vêm através da fé viva em Jesus. Se fosse pelos nossos próprios méritos, nenhum de nós poderia receber essas bênçãos. Elas só vêm pela graça de Deus (favor que nós não merecíamos). É mediante a fé que somos abençoados por Deus, salvos, curados, prósperos e tudo de bom nos acontece”.

Martinho Lutero pregava com toda insistência. Foi quando chegou aquela carta lá de Roma. Só que naquela época não tinha rádio, telefone ou televisão. Martinho Lutero acreditou na carta, onde estava escrito o seguinte: “Venha a Roma discutir suas opiniões. Nós lhe prometemos segurança, tanto na vinda como na volta, e nada de mau vai lhe acontecer”.

Ele foi ao Vaticano, juntamente com os soldados romanos que o estavam escoltando para Roma. Mas, muito antes de chegar a Roma, alguns príncipes alemães se mobilizaram, pois sabiam das intenções malignas de Roma em matar Martinho Lutero. E eles o “seqüestraram” (no caso, um sequestro benéfico) durante a noite, na viagem a Roma. Vieram e pegaram aquela escolta romana de surpresa. Agarraram Martinho Lutero e o levaram para um lugar nas montanhas, onde o esconderam. E falaram para ele: “Se você não sabe, eles querem matá-lo, mas nós o estamos protegendo”.

Sabe o que Martinho Lutero fez na montanha? Ele traduziu a Bíblia para a língua alemã. Como era um perito nas línguas originais da Bíblia (grego e hebraico), Lutero aproveitou o tempo no esconderijo para traduzir a Bíblia e disponibilizá-la para o povo, de maneira que eles mesmos pudessem ler e entendê-la na sua língua materna.

Lutero foi expulso da igreja católica. Não estava nos seus planos sair da igreja. Ele tinha como meta reformar a Igreja Católica e fazê-la voltar às suas raízes, como igreja cristã, e realmente seguir a Jesus.

Naquele tempo começou inclusive a haver guerras entre os católicos romanos e os luteranos. Os católicos romanos queriam matar os luteranos (aqueles que seguiam os ensinamentos pregados por Martinho Lutero).

A Reforma Zwingliana

Martinho Lutero é considerado o que começou a Reforma Protestante. Ou seja, ele protestava contra os erros gritantes da igreja romana. Foi depois dessas atitudes de Martinho Lutero que surgiram outros homens de Deus com coragem também. Um desses homens se levantou na Suíça. O nome dele é Úlrico Zwínglio. Isso foi em 1519.  Como um grande padre da Suíça, ele também começou a pregar a verdade e, da mesma forma que Lutero, foi expulso da igreja. E começou a Igreja Reformada da Suíça. Por que eu enfatizo a Igreja Reformada da Suíça?

A Reforma na Suíça, iniciada por Zwínglio, finalmente se concretizou em 1525. Naquele mesmo ano começou um submovimento na Suíça, que se chamou Movimento Anabatista. O movimento anabatista não tem nada a ver com as igrejas batistas de hoje. É óbvio que as igrejas batistas são muito boas, mas surgiram muito tempo depois.

O Movimento Anabatista

O Movimento Anabatista foi muito interessante, porque surgiu dentro da Igreja Reformada da Suíça, quando tanto Martinho Lutero quanto Zwínglio (Lutero na Alemanha e Zwínglio na Suíça) ainda batizavam crianças, pois acreditavam ser o correto.

Esse movimento era formado também por outros irmãos, debaixo da cobertura desses homens de Deus, como Úlrico Zwínglio. Tais reformadores, ao lerem a Bíblia, descobriram que o batismo de crianças não é bíblico. O batismo bíblico é por imersão, e somente de adultos. Martinho Lutero falou algo muito sério e correto, quando começou a Reforma. Ele disse que somente estava começando a Reforma. Havia muitas coisas na Bíblia que ele não estava praticando.

Então, esses anabatistas foram os primeiros, em larga escala, a dizer não. “Vamos batizar somente adultos. Não batizaremos crianças, de forma alguma”, diziam eles.

A igreja da Suíça poderia dizer: “tudo bem; se vocês creem assim, vocês têm toda liberdade para agirem dessa forma”. Não, nada disso aconteceu. A Igreja Reformada da Suíça começou a persegui-los e caiu no mesmo erro da igreja romana. Eles queriam matar esses anabatistas. Isto prova que os reformadores ainda precisavam de mais revelação em algumas áreas.

Os anabatistas foram tão revolucionários, que um dos seus dogmas, além do batismo de adultos, era o seguinte: “É pecado matar”. Então, eles pregavam que era inadmissível matar qualquer pessoa só por não concordar com a mesma doutrina. Aí começou uma “santa revolução”.

CURIOSIDADES

Reforma protestante – 495 anos – 31 de outubro de 2012.

            Hoje dia 31 de outubro, se comemora o aniversário da Reforma Protestante realizada por Martinho Lutero, ao pregar nas portas da catedral de Wittenberg as noventa e cinco teses. O ato tinha o intuito de trazer à luz as verdades bíblicas, pois as mesmas naquela época estavam sendo deturpadas pela Igreja Católica, que vendia indulgências em troca da salvação das almas.
Lutero indignado escreveu as noventa e cinco teses, o que deu origem a Reforma Protestante.  Lutero através do estudo minucioso da Palavra descobriu que a Igreja Católica estava longe da pureza que continha os ensinamentos da Igreja Primitiva.
A Reforma trouxe de volta à igreja as doutrinas chaves que são:(Sola Scriptura), somente as Escrituras ou a sua autoridade e suficiência;(Solus Christus); somente Cristo, ou a suficiência e exclusividade de Cristo; (Sola Gratia), somente a graça, única causa eficiente da salvação, (Sola Fide), somente a fé, ou a exclusividade da fé como meio da justificação, (Soli Deo Gloria), Glória somente a Deus.
            Que possamos nos voltar novamente para esses sagrados ensinamentos, e promovermos também em nós todos os dias, uma Reforma completa para que sejamos sempre dignos do sacrifício de Jesus por nós na cruz do calvário.
            
            Soli Deo Gloria!

Pr Andre Henrique Torres Ribeiro

2 comentários sobre “O MOVIMENTO DA REFORMA – 31 de Outubro de 1517

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s