ENVOLVIMENTO PESSOAL DO MINISTRANTE NA MINISTRAÇÃO

TEMA: ENVOLVIMENTO PESSOAL DO MINISTRANTE NA MINISTRAÇÃO

 

  • PRINCÍPIOS DE ORIENTAÇÃO DA PERSONALIDADE DO MINISTRANTE

Um grupo de jovens ministros do evangelho perguntou certa vez a um ministrante idoso: “Com relação ao aspecto humano da ministração, qual é o fator mais relevante?” Sua reposta imediata foi: “Personalidade” “Mas, diga-nos”, insistiram, “O que é personalidade”! Ah, disse ele “se ao menos eu soubesse!”

A ministração envolve a comunicação de verdades divinas através da personalidade humana. Assim sendo, o desenvolvimento e o uso adequado da personalidade são extremamente relevantes.

Já se analisou através de pesquisas o discurso público eficaz (refiro-me ao discurso público como sendo distinto da pregação) Um discurso eficaz compõe-se de:

  • 50% de matéria sobre o assunto
  • 20% de psicologia de abordagem e conclusão
  • 20% de um pronunciamento eficaz
  • 10% de personalidade

Contudo, estes 10% “leveda” todo o discurso! Podem fazer a diferença entre uma conversa maçante e um discurso fascinante. Portanto, achei apropriado devotar um pouco de espaço ao assunto da personalidade do ministrante. Eis algumas diretrizes simples:

 

  1. Seja Você Mesmo

Relaxe, fique natural e sem afetação. A tensão cria o nervosismo. A melhor maneira de relaxarmos é entregarmos nossa mensagem a Deus. Faça o melhor que você puder, e deixe os resultados nas mãos de Deus.

 

  1. Tente Não Copiar os Outros

Deus escolheu você porque Ele quer usar você. Você tem algumas características especiais, peculiares a você somente, e Deus tem um propósito para elas. Se você estiver tentando copiar ou imitar alguém, os seus ouvintes logo percebem isto, Notam que a sua ministração não é totalmente sincera e genuína. Ela comunica uma idéia de superficialidade.

 

  1. Seja Verdadeiro Consigo Mesmo

A integridade e a honestidade são essenciais para o ministrante. Lembre-se que você é um canal para Deus, um porta-voz, para que Ele possa falar aos homens através de você. Portanto, Ele quer um vaso que seja honesto, sem hipocrisia e engano.

 

  1. Seja um Vaso Limpo

É importante que os seus ouvintes atinjam um ponto mais elevado do que o seu. Se a sua vida estiver poluída, você poluirá os seus ouvintes. Se houver amargura em seu espírito, você comunicará aos seus ouvintes. Se você for crítico, isto transparecerá na sua ministração e a seus ouvintes tornar-se-ão críticas também. Se você se permitir ser controlado por atitudes negativas, as pessoas também se tornarão negativas.

Você sempre produzirá segundo a sua espécie. Você tem uma séria responsabilidade de ser o tipo de pessoa que Deus quer produzir, a fim de que o fruto do seu ministério seja também desta mesma variedade.

  1. Seja Sincero

Sinceridade significa sermos libertos de fingimento ou de tapeação. Significa sermos a mesma pessoa na realidade assim como somos na aparência. Não tente parecer ser algo em público que você não seja na sua vida privada. Seja genuíno, honesto e sincero.

Muitos ministrantes desenvolvem uma imagem pública. Têm uma fachada religiosa. Por favor, evite isto. É uma hipocrisia religiosa e uma abominação para Deus. Deus certamente não se impressionará com imagens falsas assim e as pessoas, tampouco, não são enganadas com isto por muito tempo.

  1. Tenha um Propósito e um Objetivo Claros

A nossa personalidade é moldada e desenvolvida adequadamente quando temos um verdadeiro objetivo na vida. Se a sua vida for verdadeiramente dedicada a tornar-se um eficaz ministrante da Palavra de Deus, a sua personalidade se desenvolverá para este fim. Ela tomará a forma apropriada para um ministrante de verdade. Uma dedicação assim fomentará o desenvolvimento da sua pessoa da maneira mais adequada possível para que você seja um autêntico porta-voz de Deus.

Nunca permita que a ministração seja um “hobby” para você. É o chamado mais elevado disponível ao homem. Se Deus o chamou para que você declarasse a Sua gloriosa verdade, dedique-se de todo o seu coração a alcançar o desenvolvimento perfeito deste chamado. É a coisa mais relevante da sua vida. Nunca permita que seja relegado a uma posição secundária.

 

  1. Seja Totalmente Dedicado

Nada que valha a pena jamais é alcançado por pessoas que não têm dedicação no que fazem.

Nada de valor jamais se obtém sem que se pague um preço. Se entregue de todo o coração à grande tarefa da ministração. Que este objetivo seja primordial na sua mente. Estude tudo o que você puder sobre o assunto. Permita que ele o absorva, e o motive. Faça dele a coisa de maior relevância da sua vida e determine-se a ser, de todas as maneiras possíveis, digno do alto chamado que Deus colocou sobre você.

 

  • REQUISITOS ESSENCIAIS NA VIDA DE UM MINISTRANTE
  1. Naturalidade

Descontrai-se e seja você mesmo. Deus quer usar a sua personalidade como um canal para comunicar a Sua Palavra. É por isso que Ele escolheu e chamou você. Não seja demasiadamente negativo com relação a você mesmo. Se aceite. Deus o aceitou.

 

  1. Originalidade

Faça com que a sua ministração e a maneira pela qual você a apresenta seja o seu próprio e singular produto. Deus nos fez diferentes uns dos outros. Ele se alegra na nossa singularidade e na variedade que isto proporciona à raça humana. Se fôssemos todos exatamente a mesma coisa, a vida se tornaria muito medíocre e maçante.

Use a personalidade singular que Deus deu a você e permita-Lhe expressar os Seus pensamentos e vontade através da sua vida, da maneira especial e singular que Ele deseja.

 

  1. Simplicidade

Há algo extremamente atraente no que se refere à simplicidade. Não tente ser demasiadamente complicado ou profundo em demasia. Você não tem que impressionar as pessoas. O seu papel é ministrar a elas, e não impressioná-las.

 

  1. Atratividade: Estou convencido de que a personalidade mais cativante e atraente que este mundo já viu é Jesus Cristo. Não quero dizer especificamente na aparência física. Isaías disse: “… olhando nós para Ele, nenhuma beleza víamos, para o que O desejássemos” (Is 53.2). A atração de Cristo não estava basicamente em Sua aparência física. O Seu caráter e personalidade é que eram tão atraentes.As pessoas comuns da Sua época respondiam a Ele com um grande entusiasmo. A Bíblia diz: “… a grande multidão O ouvia de boa vontade” (Mc 12.37). Arrebanhavam-se ao Seu redor. Eram atraídas como limalhas de aço a um imã. Havia uma doce graciosidade n’Ele, que Lhe proporcionava uma atração tremendamente poderosa. Era em parte este magnetismo pessoal que atraía enormes multidões onde quer que fosse. O Espírito Santo pode desenvolver uma atração semelhante em você.

 

  1. Espontaneidade

Não aja sem naturalidade. Seja livre e desimpedido, fazendo as coisas com naturalidade. Espontaneidade significa que as coisas acontecem facilmente sem serem forçadas ou coagidas. Não desenvolva um estilo religioso pesado e sem naturalidade. Permita que o seu estilo de comunicação possa fluir livre e naturalmente. Não se permita ficar amarrado e restrito.

 

  1. Adaptabilidade

Um bom ministrador precisa aprender a ser flexível e a se adaptar a muitas circunstâncias diferentes. Cada reunião em que você ministra é diferente das outras em alguns aspectos. Você precisa ser capaz de discernir em cada situação o que o Espírito Santo está desejando realizar. Deus tem um objetivo específico a alcançar em cada reunião. O ministrador é uma chave muito importante para a realização deste propósito.

Tente não ser excessivamente rígido ou ortodoxo na maneira em que sua mente atua nas ocasiões de ministração. Procure mantê-la flexível e aberta. Aprenda como esperar em Deus no seu espírito continuamente. Mantenha aberto o seu espírito à voz d’Ele mansa e suave dentro de você. Esta capacidade pode fazer toda a diferença do mundo entre uma ministração bem corriqueiro e uma ministração num encontro dinâmico com Deus através da Sua Palavra. O Espírito Santo pode criar muitos tipos diferentes de ambientes. A capacidade de se reconhecer isto e de se aproveitar estas situações singulares criadas pelo Espírito podem fazer com que você colha os resultados desejados por Deus. A chave para o sucesso de uma ministração eficaz é “discernirmos o caminho em que Deus está Se movendo, e movermo-nos com Ele”.

 

  1. Dinâmica

Há uma dinâmica misteriosa na ministração que é bastante singular a esta função específica – uma dinâmica expressão de autoridade que pode ser muito impressionante de se testemunhar.

Pedro exemplifica esta incrível dinâmica no Dia de Pentecostes (At 2). Havia pouco ele se mostrara assustado e temeroso. A sua patética negação de Cristo havia provado isto. A sua recusa de reconhecer a Cristo até mesmo diante de uma mera serva revela a sua timidez e insegurança. Porém, ele foi transformado no Dia de Pentecostes e ao se levantar para ministrar naquela manhã vemos um Pedro bem diferente. Há algo glorioso para se observar neste homem enquanto destemidamente proclama a Palavra de Deus para uma grande multidão.

Há uma majestade que entusiasma as nossas almas ao vermos tal ministrador em ação. Quem pode explicar o que constitui exatamente esse fenômeno? Lembro-me claramente de algumas ocasiões em que tive o privilégio de ouvir o Dr. Billy Graham. Que poder e autoridade são liberados através da ministração deste homem! É uma combinação do poder de Deus e da cooperação do homem. Verdadeiramente, a ministração é uma tarefa elevada e santa. A pessoa chamada para esta obra tem que sentir-se honrada de fato. Qualquer um que tenha sido chamado a cumprir este papel certamente deveria dedicar-se com todo o coração para garantir o mais alto nível possível de eficácia.

  • Através dos séculos Deus tem chamado milhares de homens e mulheres para ministrarem a sua poderosa Palavra.
  • Eles foram convocados para essa missão nobre, para ser uma bênção
  • O ministrador da atualidade não pode ser diferente.
  • Ele precisa ser chamado por Deus
  • Ele precisa receber a mensagem de Deus
  • Ele precisa levar a mensagem aos que devem recebê-la
  • Ele precisa tornar-se uma bênção onde vive e trabalha. Ele precisa, como embaixador de Cristo, seguir as instruções recebidas.
  • O ministrante é arauto de Cristo
  • O ministrante pode ser evangelista, pastor, médico, professor, advogado, engenheiro, comerciante, militar, agricultor, pedreiro, estudante, doméstica etc.
  • O ministrante deve ter uma experiência pessoal e viva com Deus. Ele precisa ter provado a graça salvadora de Cristo.
  • Seja você mesmo
  • Copie as boas ideias
  • Seja verdadeiro consigo mesmo
  • Seja um vaso limpo
  • Seja sincero. Não use máscaras
  • Tenha um propósito e um objetivo claros
  • Seja totalmente dedicado

 

  1. Preparando-se Para a Ministração
  • O ministrante deve aprimorar-se dia após dia
  • Um dos maiores ministradores de todos os tempos foi o apóstolo Paulo. Mais um dia ele foi ministrar em Atenas e foi vaiado, desapontado.
  • O ministrante precisa ler muitos livros, mas acima de tudo, ele precisa ler o LIVRO, conhecer o LIVRO dos livros, a BÍBLIA SAGRADA. A mensagem de Deus está na Bíblia.

 

  1. A Aparência do Ministrante
  • A boa aparência sempre conta pontos positivos.A Bíblia nos dá exemplos de boa aparência
  • Nas visões proféticas, o representante de Deus sempre tem aparência majestosa.
  • O próprio Jesus Cristo tinha uma túnica sem costura que impressionava muito bem a todos.
  • Não é pecado ter boa aparência, mas é pecado levar os ouvintes a desprezarem o ministrador e embaixador de Cristo, porque o embaixador não tem cuidado com sua própria aparência, sendo relaxado.

 

  1. A Linguagem do Ministrante
  • O Ministrante é embaixador de Cristo e deve usar linguagem condizente com sua função.
  • O Ministrante usará a linguagem do povo a fim de se fazer compreendido.
  • Isso não significa que vai falar de forma errada
  • Usar a linguagem do povo é evitar palavras de difícil compreensão
  • As gírias não são recomendáveis
  • O Ministrante não precisa ser especialista em gramática normativa, mas deve saber o suficiente para falar e escrever corretamente a sua língua.
  • Muitos ministradores estão pecando contra Deus, porque a eterna preguiça lhe tira a vontade de estudar para falarem melhor.
  • Coisa horrível que destrói a ministração são certas palavras sem sentido usadas por alguns pregadores, repetidamente a cada minuto. Alguns dizem repetidamente: é lógico. Outros dizem de maneira que muitas vezes no decorrer da ministração.

 

  1. Exercícios Práticos Que Devem Ser Usados Pelo Ministrante
  • Ler em voz alta dez minutos ou mais diariamente
  • Ler textos apropriados para ministrações e outros tipos
  • Ouvir outros ministradores de reconhecida capacidade e idoneidade
  • Anotar as dificuldades encontradas e pedir ajuda de outros para vencê-las.
  • Ficar na frente de um espelho grande e fazer como quem está realmente ministrando.
  • Se o ministrante tiver um amigo, que possa gravar um “vídeo-tape”, isso é muito bom.

 

  1. Os Dons do Ministrante
  • O Dom da Palavra
  • O Dom de fazer amigos
  • O Dom do otimismo
  • O Dom da Persistência

 

  1. Hábitos Necessários Que o Ministrante Precisa Cultivar
  • Hábito da pontualidade
  • Hábito de estudar
  • Hábito de não se meter no que não é de sua conta
  • Hábito de cuidar bem de sua família
  • Hábito de comprar somente o que puder pagar
  • Hábito de não fazer tudo sozinho
  • Hábito de não deixar tudo para a última hora. Nada de improvisação.

 

Um comentário sobre “ENVOLVIMENTO PESSOAL DO MINISTRANTE NA MINISTRAÇÃO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s