ENVOLVIMENTO PESSOAL DO MINISTRANTE NA MINISTRAÇÃO

TEMA: ENVOLVIMENTO PESSOAL DO MINISTRANTE NA MINISTRAÇÃO

 

  • PRINCÍPIOS DE ORIENTAÇÃO DA PERSONALIDADE DO MINISTRANTE

Um grupo de jovens ministros do evangelho perguntou certa vez a um ministrante idoso: “Com relação ao aspecto humano da ministração, qual é o fator mais relevante?” Sua reposta imediata foi: “Personalidade” “Mas, diga-nos”, insistiram, “O que é personalidade”! Ah, disse ele “se ao menos eu soubesse!”

A ministração envolve a comunicação de verdades divinas através da personalidade humana. Assim sendo, o desenvolvimento e o uso adequado da personalidade são extremamente relevantes.

Já se analisou através de pesquisas o discurso público eficaz (refiro-me ao discurso público como sendo distinto da pregação) Um discurso eficaz compõe-se de:

  • 50% de matéria sobre o assunto
  • 20% de psicologia de abordagem e conclusão
  • 20% de um pronunciamento eficaz
  • 10% de personalidade

Contudo, estes 10% “leveda” todo o discurso! Podem fazer a diferença entre uma conversa maçante e um discurso fascinante. Portanto, achei apropriado devotar um pouco de espaço ao assunto da personalidade do ministrante. Eis algumas diretrizes simples:

 

  1. Seja Você Mesmo

Relaxe, fique natural e sem afetação. A tensão cria o nervosismo. A melhor maneira de relaxarmos é entregarmos nossa mensagem a Deus. Faça o melhor que você puder, e deixe os resultados nas mãos de Deus.

 

  1. Tente Não Copiar os Outros

Deus escolheu você porque Ele quer usar você. Você tem algumas características especiais, peculiares a você somente, e Deus tem um propósito para elas. Se você estiver tentando copiar ou imitar alguém, os seus ouvintes logo percebem isto, Notam que a sua ministração não é totalmente sincera e genuína. Ela comunica uma idéia de superficialidade.

 

  1. Seja Verdadeiro Consigo Mesmo

A integridade e a honestidade são essenciais para o ministrante. Lembre-se que você é um canal para Deus, um porta-voz, para que Ele possa falar aos homens através de você. Portanto, Ele quer um vaso que seja honesto, sem hipocrisia e engano.

 

  1. Seja um Vaso Limpo

É importante que os seus ouvintes atinjam um ponto mais elevado do que o seu. Se a sua vida estiver poluída, você poluirá os seus ouvintes. Se houver amargura em seu espírito, você comunicará aos seus ouvintes. Se você for crítico, isto transparecerá na sua ministração e a seus ouvintes tornar-se-ão críticas também. Se você se permitir ser controlado por atitudes negativas, as pessoas também se tornarão negativas.

Você sempre produzirá segundo a sua espécie. Você tem uma séria responsabilidade de ser o tipo de pessoa que Deus quer produzir, a fim de que o fruto do seu ministério seja também desta mesma variedade.

  1. Seja Sincero

Sinceridade significa sermos libertos de fingimento ou de tapeação. Significa sermos a mesma pessoa na realidade assim como somos na aparência. Não tente parecer ser algo em público que você não seja na sua vida privada. Seja genuíno, honesto e sincero.

Muitos ministrantes desenvolvem uma imagem pública. Têm uma fachada religiosa. Por favor, evite isto. É uma hipocrisia religiosa e uma abominação para Deus. Deus certamente não se impressionará com imagens falsas assim e as pessoas, tampouco, não são enganadas com isto por muito tempo.

  1. Tenha um Propósito e um Objetivo Claros

A nossa personalidade é moldada e desenvolvida adequadamente quando temos um verdadeiro objetivo na vida. Se a sua vida for verdadeiramente dedicada a tornar-se um eficaz ministrante da Palavra de Deus, a sua personalidade se desenvolverá para este fim. Ela tomará a forma apropriada para um ministrante de verdade. Uma dedicação assim fomentará o desenvolvimento da sua pessoa da maneira mais adequada possível para que você seja um autêntico porta-voz de Deus.

Nunca permita que a ministração seja um “hobby” para você. É o chamado mais elevado disponível ao homem. Se Deus o chamou para que você declarasse a Sua gloriosa verdade, dedique-se de todo o seu coração a alcançar o desenvolvimento perfeito deste chamado. É a coisa mais relevante da sua vida. Nunca permita que seja relegado a uma posição secundária.

 

  1. Seja Totalmente Dedicado

Nada que valha a pena jamais é alcançado por pessoas que não têm dedicação no que fazem.

Nada de valor jamais se obtém sem que se pague um preço. Se entregue de todo o coração à grande tarefa da ministração. Que este objetivo seja primordial na sua mente. Estude tudo o que você puder sobre o assunto. Permita que ele o absorva, e o motive. Faça dele a coisa de maior relevância da sua vida e determine-se a ser, de todas as maneiras possíveis, digno do alto chamado que Deus colocou sobre você.

 

  • REQUISITOS ESSENCIAIS NA VIDA DE UM MINISTRANTE
  1. Naturalidade

Descontrai-se e seja você mesmo. Deus quer usar a sua personalidade como um canal para comunicar a Sua Palavra. É por isso que Ele escolheu e chamou você. Não seja demasiadamente negativo com relação a você mesmo. Se aceite. Deus o aceitou.

 

  1. Originalidade

Faça com que a sua ministração e a maneira pela qual você a apresenta seja o seu próprio e singular produto. Deus nos fez diferentes uns dos outros. Ele se alegra na nossa singularidade e na variedade que isto proporciona à raça humana. Se fôssemos todos exatamente a mesma coisa, a vida se tornaria muito medíocre e maçante.

Use a personalidade singular que Deus deu a você e permita-Lhe expressar os Seus pensamentos e vontade através da sua vida, da maneira especial e singular que Ele deseja.

 

  1. Simplicidade

Há algo extremamente atraente no que se refere à simplicidade. Não tente ser demasiadamente complicado ou profundo em demasia. Você não tem que impressionar as pessoas. O seu papel é ministrar a elas, e não impressioná-las.

 

  1. Atratividade: Estou convencido de que a personalidade mais cativante e atraente que este mundo já viu é Jesus Cristo. Não quero dizer especificamente na aparência física. Isaías disse: “… olhando nós para Ele, nenhuma beleza víamos, para o que O desejássemos” (Is 53.2). A atração de Cristo não estava basicamente em Sua aparência física. O Seu caráter e personalidade é que eram tão atraentes.As pessoas comuns da Sua época respondiam a Ele com um grande entusiasmo. A Bíblia diz: “… a grande multidão O ouvia de boa vontade” (Mc 12.37). Arrebanhavam-se ao Seu redor. Eram atraídas como limalhas de aço a um imã. Havia uma doce graciosidade n’Ele, que Lhe proporcionava uma atração tremendamente poderosa. Era em parte este magnetismo pessoal que atraía enormes multidões onde quer que fosse. O Espírito Santo pode desenvolver uma atração semelhante em você.

 

  1. Espontaneidade

Não aja sem naturalidade. Seja livre e desimpedido, fazendo as coisas com naturalidade. Espontaneidade significa que as coisas acontecem facilmente sem serem forçadas ou coagidas. Não desenvolva um estilo religioso pesado e sem naturalidade. Permita que o seu estilo de comunicação possa fluir livre e naturalmente. Não se permita ficar amarrado e restrito.

 

  1. Adaptabilidade

Um bom ministrador precisa aprender a ser flexível e a se adaptar a muitas circunstâncias diferentes. Cada reunião em que você ministra é diferente das outras em alguns aspectos. Você precisa ser capaz de discernir em cada situação o que o Espírito Santo está desejando realizar. Deus tem um objetivo específico a alcançar em cada reunião. O ministrador é uma chave muito importante para a realização deste propósito.

Tente não ser excessivamente rígido ou ortodoxo na maneira em que sua mente atua nas ocasiões de ministração. Procure mantê-la flexível e aberta. Aprenda como esperar em Deus no seu espírito continuamente. Mantenha aberto o seu espírito à voz d’Ele mansa e suave dentro de você. Esta capacidade pode fazer toda a diferença do mundo entre uma ministração bem corriqueiro e uma ministração num encontro dinâmico com Deus através da Sua Palavra. O Espírito Santo pode criar muitos tipos diferentes de ambientes. A capacidade de se reconhecer isto e de se aproveitar estas situações singulares criadas pelo Espírito podem fazer com que você colha os resultados desejados por Deus. A chave para o sucesso de uma ministração eficaz é “discernirmos o caminho em que Deus está Se movendo, e movermo-nos com Ele”.

 

  1. Dinâmica

Há uma dinâmica misteriosa na ministração que é bastante singular a esta função específica – uma dinâmica expressão de autoridade que pode ser muito impressionante de se testemunhar.

Pedro exemplifica esta incrível dinâmica no Dia de Pentecostes (At 2). Havia pouco ele se mostrara assustado e temeroso. A sua patética negação de Cristo havia provado isto. A sua recusa de reconhecer a Cristo até mesmo diante de uma mera serva revela a sua timidez e insegurança. Porém, ele foi transformado no Dia de Pentecostes e ao se levantar para ministrar naquela manhã vemos um Pedro bem diferente. Há algo glorioso para se observar neste homem enquanto destemidamente proclama a Palavra de Deus para uma grande multidão.

Há uma majestade que entusiasma as nossas almas ao vermos tal ministrador em ação. Quem pode explicar o que constitui exatamente esse fenômeno? Lembro-me claramente de algumas ocasiões em que tive o privilégio de ouvir o Dr. Billy Graham. Que poder e autoridade são liberados através da ministração deste homem! É uma combinação do poder de Deus e da cooperação do homem. Verdadeiramente, a ministração é uma tarefa elevada e santa. A pessoa chamada para esta obra tem que sentir-se honrada de fato. Qualquer um que tenha sido chamado a cumprir este papel certamente deveria dedicar-se com todo o coração para garantir o mais alto nível possível de eficácia.

  • Através dos séculos Deus tem chamado milhares de homens e mulheres para ministrarem a sua poderosa Palavra.
  • Eles foram convocados para essa missão nobre, para ser uma bênção
  • O ministrador da atualidade não pode ser diferente.
  • Ele precisa ser chamado por Deus
  • Ele precisa receber a mensagem de Deus
  • Ele precisa levar a mensagem aos que devem recebê-la
  • Ele precisa tornar-se uma bênção onde vive e trabalha. Ele precisa, como embaixador de Cristo, seguir as instruções recebidas.
  • O ministrante é arauto de Cristo
  • O ministrante pode ser evangelista, pastor, médico, professor, advogado, engenheiro, comerciante, militar, agricultor, pedreiro, estudante, doméstica etc.
  • O ministrante deve ter uma experiência pessoal e viva com Deus. Ele precisa ter provado a graça salvadora de Cristo.
  • Seja você mesmo
  • Copie as boas ideias
  • Seja verdadeiro consigo mesmo
  • Seja um vaso limpo
  • Seja sincero. Não use máscaras
  • Tenha um propósito e um objetivo claros
  • Seja totalmente dedicado

 

  1. Preparando-se Para a Ministração
  • O ministrante deve aprimorar-se dia após dia
  • Um dos maiores ministradores de todos os tempos foi o apóstolo Paulo. Mais um dia ele foi ministrar em Atenas e foi vaiado, desapontado.
  • O ministrante precisa ler muitos livros, mas acima de tudo, ele precisa ler o LIVRO, conhecer o LIVRO dos livros, a BÍBLIA SAGRADA. A mensagem de Deus está na Bíblia.

 

  1. A Aparência do Ministrante
  • A boa aparência sempre conta pontos positivos.A Bíblia nos dá exemplos de boa aparência
  • Nas visões proféticas, o representante de Deus sempre tem aparência majestosa.
  • O próprio Jesus Cristo tinha uma túnica sem costura que impressionava muito bem a todos.
  • Não é pecado ter boa aparência, mas é pecado levar os ouvintes a desprezarem o ministrador e embaixador de Cristo, porque o embaixador não tem cuidado com sua própria aparência, sendo relaxado.

 

  1. A Linguagem do Ministrante
  • O Ministrante é embaixador de Cristo e deve usar linguagem condizente com sua função.
  • O Ministrante usará a linguagem do povo a fim de se fazer compreendido.
  • Isso não significa que vai falar de forma errada
  • Usar a linguagem do povo é evitar palavras de difícil compreensão
  • As gírias não são recomendáveis
  • O Ministrante não precisa ser especialista em gramática normativa, mas deve saber o suficiente para falar e escrever corretamente a sua língua.
  • Muitos ministradores estão pecando contra Deus, porque a eterna preguiça lhe tira a vontade de estudar para falarem melhor.
  • Coisa horrível que destrói a ministração são certas palavras sem sentido usadas por alguns pregadores, repetidamente a cada minuto. Alguns dizem repetidamente: é lógico. Outros dizem de maneira que muitas vezes no decorrer da ministração.

 

  1. Exercícios Práticos Que Devem Ser Usados Pelo Ministrante
  • Ler em voz alta dez minutos ou mais diariamente
  • Ler textos apropriados para ministrações e outros tipos
  • Ouvir outros ministradores de reconhecida capacidade e idoneidade
  • Anotar as dificuldades encontradas e pedir ajuda de outros para vencê-las.
  • Ficar na frente de um espelho grande e fazer como quem está realmente ministrando.
  • Se o ministrante tiver um amigo, que possa gravar um “vídeo-tape”, isso é muito bom.

 

  1. Os Dons do Ministrante
  • O Dom da Palavra
  • O Dom de fazer amigos
  • O Dom do otimismo
  • O Dom da Persistência

 

  1. Hábitos Necessários Que o Ministrante Precisa Cultivar
  • Hábito da pontualidade
  • Hábito de estudar
  • Hábito de não se meter no que não é de sua conta
  • Hábito de cuidar bem de sua família
  • Hábito de comprar somente o que puder pagar
  • Hábito de não fazer tudo sozinho
  • Hábito de não deixar tudo para a última hora. Nada de improvisação.

 

Anúncios

Um comentário sobre “ENVOLVIMENTO PESSOAL DO MINISTRANTE NA MINISTRAÇÃO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s