CARACTERÍSTICAS DE INFLUÊNCIAS MALIGNAS NA MENTE

renuncia

 

Os pensamentos de maus espíritos sempre invadem pelo lado de fora, entrando pela mente. Nós temos capacidade de pensar, refletir, raciocinar. Escolhemos em que colocar nosso pensamento. Aqueles, porém, invadem pelo lado de fora, com pensamentos fora da nossa escolha ou controle. Se não forem abortados imediatamente, minarão nossa mente e estabelecerão um domínio na área invadida.

A segunda característica a considerar é que os pensamentos de maus espíritos forçam, empurram e coagem o homem a agir imediatamente. Suponhamos que alguém está em casa e de repente vem um impulso acompanhado de um pensamento: “atire-se da janela.” Isso é pensamento de demônios suicida. Se ele tem a mente passiva será levado a obedecer tal impulso. Se, por exemplo, estarnos numa reunião e o pastor está pregando e se levanta um crente e traz uma palavra fora da hora e diz “Foi o Espírito que me obrigou a falar; eu não me pude conter”, pode ter a certeza de que estamos diante da manifestação de um outro espírito, que não é o de Deus.

A terceira característica é que seus pensamentos confundem e paralisam a mente e fazem com que a pessoa já não pense de modo claro. Confusão mental, “branco na mente“, é sintoma de influência estranha. Tudo isso tem um objetivo: o controle da alma para dominá-Io sem problemas. Sabendo, no entanto, discernir esses sintomas, facilmente poderemos recusar tudo quanto vem de fora, com o auxílio do Espírito Santo e um sólido conhecimento da Palavra de Deus.

 

A ESTRATÉGIA DE SATANÁS: ENGANO E PASSIVIDADE

A passividade da mente é o principal alvo de Satanás, a fim de dominar o homem. Para que ele exerça esse domínio, precisa de uma mente passiva, que se habitua a não raciocinar, filtrar o que ouve, pois assim acontecendo tudo quanto é lançado nela fica e, conseqüentemente, produzirá seu fruto. Alcançando seu alvo, ele prende sua vítima pelo engano. O que é o engano? É uma convicção errada acerca de qualquer coisa, sem que a pessoa tenha a menor consciência de erro.

Até mesmo certos ensinos bíblicos, que são tão importantes, como a rendição do nosso “eu” a Deus e a nossa “morte em Cristo“, podem ser levados a extremos e degenerar em passividade da mente, da vontade e do corpo. Satanás quer um homem passivo, escravizado à sua vontade, para que possa facilmente manipulá-Io, enquanto Deus apela à nossa vontade e espera uma rendição inteligente, uma decisão de obedecer de boa mente Sua Palavra.

As forças das trevas gostariam de transformar o homem num autômato (uma máquina), alguém passivamente dirigido por suas garras estranhas e invisíveis. Deus, porém, quer ver um homem livre, inteligente, que coopera com Ele, um ser que reflete a imagem de Deus, em pleno domínio de seus poderes, que não se deixa dominar por nenhuma força alheia à sua vontade. Sua própria rendição ao Criador é feita no pleno uso desses poderes. Sem uma clara compreensão dessas coisas será fácil ao inimigo lançar-nos no engano.

 

 

SINAIS DE ENGANO

 

Atitude Fanática

Um Espírito Fanático é o primeiro sinal de alerta. Ele se manifesta em muito entusiasmo e energia, mas fechado para raciocinar, duro, dogmático. O espírito fanático é o que não consegue ver as coisas por um ângulo mais aberto. Muitas vezes, desde a infância a pessoa recebeu uma orientação, e passa a vida sem questioná-Ia. Se ela ouvir algo diferente, fechará sua mente e logo o rejeitará.

O fanatismo religioso tem sido a causa de muita tragédia na história da Igreja, de confrontos, conflitos e até mortes. Discussões acaloradas em volta de pontos de vista doutrinários, quando os interlocutores (aquele que fala em nome de outro) se agridem com palavras e fervem por dentro, são uma clara evidência desse Espírito fanático. Há um zelo cego no fanático, que o leva à briga e à intolerância. A mente sã pode ter pensamentos diferentes dos demais, mas não se deixa por entusiasmos descontrolados.

O fanatismo é o responsável pelo legalismo religioso, bem como o tradicionalismo cego. Olhando para as páginas do Novo Testamento vemos como ele mostrou suas garras algozes. Jesus foi constantemente afligido por ele. Porque Jesus curava no sábado os líderes religiosos se insurgiam contra ele, acusando-O de quebrar a lei, quando Jesus quebrava apenas suas tradições humanas.

 

Revelação e Direção Vindas Através De Uma Mente Passiva estão

Sujeitas Ao Engano

 

A Palavra nos adverte: “Amados, não creias a todo Espírito, mas provaí se os espíritos vêm de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo” (I João 4.1). Para que possamos provar os Espíritos, teremos que usar não só nossas faculdades espirituais, mas também as intelectuais, pois as impressões do Espírito são transmitidas à mente e compete-lhe analisá-Ias à luz da Palavra escrita, o que exige uma mente ativa. Se isso não ocorre, todo tipo de engano não terá dificuldades em se infiltrar. A pessoa pode receber uma direção que parece divina, mas não é.

Há quem julgue que não se deve questionar aquilo que parece ser revelação e direção sobrenatural. Se ele recebe uma profecia de alguém, logo aceita. Acontece que isso é pecar contra o mandamento de provar todos os espíritos. Todos os canais humanos, por mais usados que sejam por Deus, são imperfeitos e não se pode aceitar cegamente uma palavra, sem prová-Ia. Todos os sonhos, visões, pensamentos, revelações e direções devem ser primeiro testados à luz da Palavra escrita e as convicções que Deus nos traz ao coração. Tudo quanto vem de Deus suporta o teste.

 

O Mau Entendimento Da Verdade

 

Este é outro sintoma de engano, produzido pela passividade da mente. A pessoa ouve uma mensagem e isola uma frase de todo um contexto, sem um esforço intelectual de análise do que foi ouvido e chega a conclusões que nada têm a ver com o que foi ouvido. O mesmo ocorre com a leitura da Palavra. Pode ocorrer ainda que ouça certos chavões ou ensinos baseados em apenas uma parte da verdade e, por falta do uso da análise à luz de toda a revelação bíblica, ela sucumbe ao engano. Vejamos alguns

exemplos:

 

“Sou mais que vencedor” (Romanos 8.37). Engano: não terei lutas nem dificuldades. Verdade: Toda a vitória implica necessariamente na existência de uma luta que lhe precedeu. Se venço, é porque lutei. Sei que a luta virá, mas não temo porque no meio dela Cristo me dará vitória.

Eu tenho a mente de Cristo” (I Coríntios 2.16). Engano: “Eu não devo ter a minha própria mente”. Verdade: Ninguém tem automaticamente a mente de Cristo. Ela é residente no cristão porque o Espírito Santo habita nele, mas isso não retira a mente do cristão e a transforma na de Cristo.

Deus me falou”. Engano: “Eu sou liderado pelo Espírito, logo não preciso da mente”. Verdade: Deus fala através do meu Espírito e minha mente deve estar em linha com meu Espírito e entender o que Deus está falando.

 

A Verdade Não Equilibrada Com Outras Verdades Se Torna Erro

 

Um sistema de doutrina construído sobre uma única faceta da verdade pode levar ao engano. O equilíbrio está em “todo o conselho de Deus” (Atos 20.27). Se alguém só prega poder, ou só cura, ou só libertação, ou só batismo no Espírito Santo, uma única faceta da verdade, seja ela qual for, o engano facilmente se estabelecerá. O ensino da Bíblia abrange todos os aspectos da vida cristã e todos nós temos de ser instruídos em todos eles, como Jesus mesmo declarou: ” … Ensinando-os a guardar todas as coisas que Eu vos tenho .ordenado … “(Mateus 28.20).

Todas as doutrinas bíblicas estão interligadas e se completam num todo harmônico, dentro de um plano estabelecido por Deus. Quando olhamos para a Bíblia como um todo, descobrimos a presença de um Deus de plano, de propósito, de objetividade, de beleza, de harmonia. Todos os ensinos se encaixam perfeitamente dentro desse plano geral. Eis a razão porque quando alguém toma uma única doutrina e sobre ela constrói todo um sistema, labora em erro e leva aquela verdade a extremos.

 

Mente Fechada à Luz e à Verdade

 

Este é outro sinal seguro de engano. Toda mente fechada demonstra prisão. Ela adota a atitude de “tenho tudo”, “tenho a última revelação”, “eu sou o único certo”, ”pelo meu ministério virá avivamento”. Quem julga ter a última palavra em todas as coisas e adota uma atitude de intolerância em relação aos que entendem de modo diferente alguma doutrina, revela estar dominado pelo erro ou engano. Quando Deus traz uma luz sobre algum aspecto da revelação bíblica, não a traz para uma só pessoa. O testemunho interior quanto àquela verdade virá a muitos. Se alguém é a única pessoa a entender uma verdade de um modo diferente dos demais, existe uma boa probabilidade de engano.

 

Um dos enganos em nossos arraiais teológicos é estudar a Bíblia a partir de conclusões de uma pessoa em um dado período da História da Igreja. Até mesmo as conclusões de concílios são passíveis de erro. Existem vários ensinos que têm sido passados de geração em geração, a partir dessas conclusões. Contudo, qualquer comentário Bíblico, qualquer livro, qualquer compêndio teológico revela apenas o entendimento da pessoa que o escreveu e seu nível de experiência na fase da vida em que ela escreveu. A revelação de Deus é dinâmica, o mover do Espírito é dinâmico e temos que acompanhá-Io.

 

SINTOMAS DE PASSIVIDADE DA MENTE

Muitas vezes a passividade da mente é provocada por uma falta de compreensão do lugar da mente na vida de uma pessoa rendida à vontade de Deus e submissa à direção do Espírito Santo. Há quem julgue que a submissão exclui o uso das faculdades mentais, que Deus não precisa do nosso intelecto. A realidade, porém, é que Ele usa o que o homem tem. Ele tanto precisa de um Pedro pescador, sem muita cultura, como de um Paulo bem treinado, para atingir filósofos e governantes. O trabalho ou desenvolvimento da mente não embaraça a operação de Deus na nossa vida.

O homem é um ser ativo, dotado de ações e reações. Quando existe inatividade onde uma ação se fazia necessária, estamos diante de uma clara manifestação de passividade da mente. Quando alguém diz: “não posso pensar”, “não consigo lembrar”, “não consigo me concentrar”, em outras palavras, onde há uma incapacidade de domínio da situação, alguma coisa está errada. A mente está pesada, prisioneira, a pessoa sente como se algo a amarrasse.

A esta altura você já deve estar pensando: “será que minha mente é passiva?” Como saber se a passividade mental está se infiltrando em mim? Analisando os sintomas. Vejamos alguns deles.

2 comentários sobre “CARACTERÍSTICAS DE INFLUÊNCIAS MALIGNAS NA MENTE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s