Evangelização

EVANGELIZAÇÃO CRISTÃ NA IGREJA PRIMITIVA

Quando analisamos a história do evangelismo, desde os tempos da igreja primitiva, notamos que este passou por várias modalidades de aplicação,de acordo com os contextos históricos que foram sendo formados. O direcionamento da mensagem do Evangelho ao povo judeu tinha uma abordagem diferente da abordagem feita aos gregos na evangelização da Ásia Menor, abordagem que foi diferente também no contexto dos romanos.

Quando se quer tratar deste tema, Evangelização na Igreja primitiva, em nossa opinião, quem melhor escreve sobre este assunto é Michael Green. Sua pesquisa em forma de apresentação nos trazem informações valiosíssima se nos chamam para uma reflexão que deve nos levar a um bom entendimento sobre o tema. Em seguida, trazemos algumas de suas pesquisas, mas é altamente recomendada a leitura de sua obra.

Jesus encarregou um pequeno grupo de onze homens para executar sua obra elevar o evangelho a todo o mundo (Mateus28.19). Eles não eram pessoas importantes, nem bem instruídas, e também não tinham pessoas influentes atrás de si. Eles não eram ninguém em seu país, e, de qualquer forma, seu país não passava de uma província de segunda classe na extremidade oriental do mapa romano. Se eles tivessem parado para avaliar as chances de sucesso da sua missão, mesmo tendo a convicção de que Jesus estava vivo e que seu Espírito os acompanhava para equipá-los para sua tarefa, eles teriam desanimado; tão grandes eram as condições adversas. Como eles conseguiriam? Mesmo assim, eles conseguiram.(…)Porém,é igualmente verdade se dissermos que nenhum outro período da história do mundo estava melhor preparado para receber a jovem Igreja que o primeiro século d.C.,com oportunidades enormes para espalhar e compreender a fé, em um império literalmente mundial. A conjunção de elementos gregos, romanos e judaicos nesta praeparatio  evangelica é do conhecimento de todos, mas vale apenas relembrá-la, para colocarmos este estudo em sua perspectiva certa. No primeiro relato que temos da expansão do cristianismo, os Atos dos Apóstolos, fica visível em cada página a contribuição da Grécia, Roma e Judaísmo. No segundo século os cristãos começaram a pensar mais e se conscientizar do contexto sobre o qual a Igreja fora edificada, e passaram a falar da providência divina que tinha preparado o mundo para o surgimento do cristianismo. Nem todos os seus argumentos têm o mesmo peso, mas é inegável que o primeiro século abriu estradas de valor incalculável para a difusão do Evangelho (GREEN,1984,p.11).

GREEN,Michael;EvangelizaçãodaIgreja Primitiva.-SãoPaulo:EdiçõesVida Nova,1984

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s