PRINCÍPIOS PARA A AUTORIDADE DELEGADA

PRINCÍPIOS PARA A

AUTORIDADE DELEGADA

 

1. A autoridade delegada deve santificar a Deus

Números 20 e Deuteronômio 32. 48- 52 contam a história de Moisés e Arão diante de um teste. Moisés bateu na “pedra” duas vezes – rebelião. Deus honrou sua promessa e deu água, mas Moisés não representou a Deus corretamente. Moisés teve uma atitude de raiva (Deus não estava com raiva). O v.12 e Lucas 12.48 mostram que Moisés pagou o preço pela rebelião – não entrou em Canaã. Moisés aceitou o julgamento de Deus, mostrando ao povo a seriedade do pecado de rebelião.

Não envolva Deus nas falhas humanas. Moisés quebrou as tábuas dos dez mandamentos e sua atitude foi correta. Mas, ao bater na pedra para tirar água, ele estava errado e, como alguém em “autoridade”, ele não representou a Deus corretamente.

 

2. A autoridade delegada é um assunto sério: Números 20.22-29.

Aqui vemos que Arão foi tirado de sua posição e não entrou em Canaã. A responsabilidade de Arão era grande. Arão morreu quando perdeu sua “autoridade” (suas vestes sacerdotais). A “autoridade delegada” de Arão (sua vida), foi mantida pelo serviço.

A “autoridade delegada” acabou quando o serviço acabou. Como “autoridade delegada,” se você pecar, imediatamente peça perdão de Deus, ou você entrará em julgamento. Antes de você decidir qualquer coisa, conheça a “mente” de Deus. O governo de Deus nunca deveria ser afrontado.

3. A autoridade delegada não deve ser carnal

Você não deve servir na sua própria força, mas no poder da ressurreição. Na igreja a submissão deve ser absoluta, ou não é uma igreja. A autoridade delegada deve ter o temor de Deus. A igreja sofre por causa de DUAS dificuldades: A falta da submissão absoluta. A presença de autoridade errada.

3. A autoridade delegada é baseada no ministério

… e o ministério na ressurreição. Nunca é baseada na posição. Posição é um posto sem ministério espiritual. Não tem “vara” (a vida ressurreta) não pode ter ministério; e se não tem ministério não tem autoridade. A sua autoridade nunca excederá seu ministério. Não existe autoridade só por acaso.

Sua autoridade diante dos homens será igual a seu ministério diante de Deus. Se sua autoridade excede seu ministério ela é só “posicional”. Quando alguém em “autoridade” erra, Deus a julgará. Moisés e Arão não se desculparam. Quando essas questões são praticadas, a igreja se tornará a igreja que Deus quer que ela seja.

4. A autoridade delegada deve permanecer sob a autoridade

Um bom exemplo é o caso de Davi, em li Samuel 16. 5 -14 e 19. 9 -15. Davi foi submisso a “autoridade” e não procurou estabelecer sua própria autoridade. Parece que Davi tinha razão para cortar as vestes de Saul, mas o coração de Davi o condenou porque isso não era submissão verdadeira à autoridade. Precisava esperar para que Deus instituísse sua autoridade.

A unção e a autoridade de Deus estavam sobre Davi e reconhecida em duas áreas: Por Deus e pelo povo. Deus escolheu a Davi, ele não foi auto-escolhido. O povo aceitou a Davi, ele não forçou sua autoridade sobre o povo, pelo contrário, ajuntaram­ se a ele voluntariamente.

 

Davi esperou muito tempo para ser Rei. Primeiramente para ser aceito por Judá. Então anos mais tarde para ser aceito por todo Israel.

“Ser ungido por Deus é uma coisa. Ser ungido e aceito pelo povo é outra.

É preciso que haja a escolha de Deus e da igreja.

Ninguém pode se impor sobre os outros.”

Davi tinha que manter os princípios de “autoridade”: Ele executou Recabe e Baaná por assassinar o filho de Saul, Is-Bosete (li Samuel 4:5-12). Nunca permita que a “autoridade” dos outros seja prejudicada para que você possa estabelecer a sua. A presença de qualquer forma de rebelião prejudicará a sua “autoridade”.

DIANTE de Deus, Davi não se considerava uma autoridade, ou seja, alguém importante – li Samuel 6. Mical desprezou sua dança. Ela achou que ele estava perdendo respeito e, portanto, a sua autoridade. Davi entendia que, diante de Deus, ele não possuía autoridade alguma, antes, dançava como uma criança.

 

Davi era Rei no trono diante dos homens, mas diante da Arca de Deus

ele era um homem. Quanto maior a autoridade que alguém

tiver o menos que ele será consciente dela (egoísmo).

 

 

5. A autoridade delegada não precisa ser auto-sustentada: II Samuel

15.19.

Davi pediu que Itai voltasse e se submetesse a Absalão durante seu exílio. Davi não permitiu que a Arca ou os sacerdotes seguissem a ele. Davi não permitiu a nenhum amigo segui-Io. Davi disse: “Se achar eu graça aos olhos do SENHOR, ele me fará volta … “. 11 Samuel 15.25

 

6. A autoridade delegada Suporta provocação: 11 Samuel 16.8-11.

Simei amaldiçoou a Davi, mas ele não se vingou. Se sua “autoridade” não puder ser ofendida, então, e somente então, você será qualificado por ela.

7. A autoridade delegada deve ter a motivação correta: Marcos 10.35-

46.

Tiago e João procuraram posições de “autoridade”. Jesus deixou-Ihes saber que a “autoridade” vem por meio do “cálice” (sofrimento) e você precisa ser chamado para suportá-Io. Você não recebe autoridade só por ter visto uma necessidade (obra, trabalho, ministério). Você deve ser chamado por Deus.

Muitos estão afogados espiritualmente pela obra de Deus, negando a vontade Dele. Em obediência à vontade de Deus, todas as coisas vão mudar. O “batismo do sofrimento” libera a vida de Deus. Assim, com nosso homem carnal morto, nossa nova vida pode fluir. Isso criará dificuldades entre você e as pessoas que não passaram por essa lição.

A “autoridade” não é dada para projetar-se sobre as pessoas. Precisa servir em humildade (Marcos 10.42). O “espírito dos Gentios” é duro. Aqueles que vão atrás, procurando posições de autoridade, normalmente não são qualificados ainda a exercê­ Ia. Deus não pode usar uma alma orgulhosa. Aqueles que estão em “autoridade” têm naturalmente um temor de Deus, porque é temível representar e servir o Senhor.

8. A autoridade delegada deve se santificar: João 17.19.

Santidade não é só se separar dos pecados, mas também se separar das coisas comuns. Alguém em autoridade se resguardará de muitas coisas lícitas por causa dos seus discípulos.

A santificação age mais ou menos assim: Quanto maior a autoridade, maior

separação: OLHE PARA DEUS! Os separados para o serviço mais íntimo a Deus deviam observar regras restritas (Levítico 21), quanto a mortos, roupas, casamento, etc.

9. Na autoridade delegada muitas vezes você servirá em “solidão“.

Você ou “voará com os bandos” ou “se elevará como a águia.” Tudo depende de onde você quer chegar, porém, na jornada da liderança e do serviço cristãos, há momentos para ambos os vôos.

10. A autoridade delegada exige restrição das suas emoções:

Levítico 1 0.1 -7.

Arão e a morte dos seus filhos: Às vezes é preciso agir contra seus sentimentos. A posição que você ocupa em Deus e para Deus é tão elevada que você não pode sequer dar-se ao sentimento de chorar a morte de entes queridos ou agir como as pessoas normais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s