O NOME DE JESUS

O NOME DE JESUS

“Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Filipenses 2.9-11).

 

 INTRODUÇÃO

 

Você tem aprendido sobre o poder e a autoridade dados por Deus a Jesus Cristo e como Jesus delegou este mesmo poder e autoridade aos crentes. Um destes princípios espirituais poderosos é o uso de seu próprio nome. Este capítulo enfoca no poder em o nome de Jesus.

 

 

A IMPORTÂNCIA DOS NOMES

 

Nos tempos bíblicos, os nomes tinham uma importância que eles não possuem mais hoje em dia. Em muitas culturas modernas, um nome é usado, freqüentemente, como uma etiqueta pessoal. Nos tempos bíblicos, uma grande importância está ligada ao nome de uma pessoa. O nome dado a alguém, freqüentemente, era determinado por alguma circunstância no momento do nascimento (Gênesis 19.22). Às vezes, o nome expressava um a esperança ou uma profecia (Isaías 8.1-4; Oséias 1.4).

 

Devido a importância dos nomes nos tempos bíblicos, Deus mudou o nome de várias pessoas. Ele mudou o nome de Abrão para Abraão em vista de seu destino:

 

“Abrão já não será o teu nome, e sim Abraão; porque por pai de numerosas nações te constituí” (Gênesis 17.5).

 

O nome Abrão significa “pai de uma grande multidão”. Deus também mudou o nome de Sarai para Sara e Jacó a Israel por razões similares. No Novo Testamento este mesmo modelo continua. Simão foi chamado “Pedro”, e Saulo se tornou “Paulo”. Seus nomes refletiam seus destinos no plano de Deus.

 

Devido à importância do significado dos nomes, Deus selecionou um nome muito especial para Seu único Filho.

 

 

O NOME DE JESUS

 

O nome de Jesus se deu ao Filho de Deus, Ele entrou a terra em forma humana. Ele foi dado em obediência à ordem de um anjo a José, o marido de Maria, a mãe de Jesus:

 

“Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mateus 1.21).

 

O nome “Jesus” significa “Salvador”. Jesus tinha outros nomes também. Ele normalmente é chamado de Jesus Cristo, Cristo Jesus, Senhor Jesus, e Senhor. Estes também se combinam com o título “o Senhor Jesus Cristo”. “Cristo” significa “ungido”.

Jesus foi chamado uma vez de “Emanuel:”, que significa “Deus conosco”. Jesus se chamou de “o Filho do homem” e Ele é chamado freqüentemente de “Filho de Deus” nas Escrituras do Novo Testamento.

 

João o chama de “a Palavra” (ou Verbo) e de “O Cordeiro de Deus”.

 

Há muitos outros títulos dados a Jesus, como “o pão da vida”, “a luz do mundo”, etc. Uma lista completa destes nomes e títulos é dada no curso do Instituto Internacional Tempo de Colheita, “Estratégias Espirituais: Um Manual da Guerra Espiritual”. Cada um dos nomes dados a Jesus é importante para entender Sua posição e ministério.

 

Porém, o nosso Senhor normalmente é chamado, a maioria da vezes, pelo nome de “Jesus” por todo o Novo Testamento. É este nome ao qual nos referimos neste capítulo sobre o poder do nome. É o nome de Jesus, combinado às vezes com Seus outros nomes, que se usa na demonstração do poder de Deus através dos crentes no livro de Atos.

 

 

COMO SE OBTÊM OS NOMES

 

Há três maneiras pelas quais os grandes homens obtêm seus nomes:

 

PELO NASCIMENTO:

 

Algumas pessoas nascem com um grande nome. Eles nascem como príncipes, princesas, ou filhos de um grande líder tribal. Eles podem nascer em uma família com um nome conhecido por sua grande riqueza ou poder político. Eles herdam seu grande nome através de seus pais.

 

PELO SUCESSO:

 

Algumas pessoas fazem um grande nome por seus êxitos pessoais. Eles se tornam grandes escritores, inventores, políticos e líderes.

 

POR OUTORGA:

 

Outras pessoas recebem um grande nome porque ele foi outorgado a elas. Elas recebem um grande nome através de outra pessoa. Por exemplo, uma mulher pobre pode receber um nome de um político rico quando ela se casa com ele. Um rei ou um líder tribal pode dar um título de importância a uma das pessoas em seu reino ou tribo.

 

 

COMO JESUS CONSEGUIU SEU NOME

 

Jesus recebeu Seu nome das três maneiras pelas quais os grandes homens recebem seus nomes na terra:

 

PELO NASCIMENTO:

 

Jesus recebeu Seu nome pelo nascimento, através da herança de Seu Pai:

 

“Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo. Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Majestade, nas alturas, tendo-se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles” (Hebreus 1.1-4).

 

Jesus herdou um nome maior que qualquer outro ser no universo. Seu nome é maior que qualquer rei, presidente, ou líder tribal. É maior do que o nome de qualquer anjo no céu.

 

PELO SUCESSO:

 

Jesus também recebeu Seu nome pelo êxito porque ele conquistou todo o poder do inimigo:

 

“E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Colossenses 2.15).

 

 

POR OUTORGA:

 

Jesus também recebeu Seu nome por outorga:

 

“Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima

 de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai” (Filipenses 2.9-11).

 

 

 

O GRANDIOSO NOME

 

O nome de Jesus é o nome mais poderoso no universo. Ele está sobre todo o nome:

 

“Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome” (Filipenses 2.9).

 

“Acima de todo principado, e potestade, e poder, e domínio, e de todo nome que se possa referir, não só no presente século, mas também no vindouro” (Efésios 1.21).

 

 

PODER NO NOME

 

Jesus deixou a Seus seguidores com a grande missão de alcançar o mundo com a mensagem do evangelho. Ele também os deixou com um poder especial para permitir-lhes cumprir a missão. Ele lhes deu autoridade para usar Seu próprio nome:

 

“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.18-20).

 

Quando uma pessoa dá seu próprio nome a outra, significa que elas se uniram em uma unidade íntima.

 

Um exemplo é quando Deus deu Seu nome a Israel:

 

“O SENHOR te constituirá para si em povo santo, como te tem jurado, quando guardares os mandamentos do SENHOR, teu Deus, e andares nos seus caminhos. E todos os povos da terra verão que és chamado pelo nome do SENHOR e terão medo de ti” (Deuteronômio 28.9-10).

 

Para ser enviado ou falar em nome de alguém é necessário ter sua autoridade:

 

“Portanto, assim diz o SENHOR acerca dos homens de Anatote que procuram a tua morte e dizem: Não profetizes em o nome do SENHOR, para que não morras às nossas mãos. Sim, assim diz o SENHOR dos Exércitos: Eis que eu os punirei; os jovens morrerão à espada, os seus filhos e as suas filhas morrerão de fome” (Jeremias 11.21-22).

 

Homens malignos buscaram matar Jeremias porque ele profetizou no nome do Senhor e eles sabiam que sua profecia tinha a autoridade de Deus por trás dela.

 

Uma das maiores chaves ao poder espiritual é o nome de Jesus. Nós falhamos freqüentemente no ministério porque nós dependemos de nossa própria habilidade de libertar a alguém. Não é nosso nome, posição ou autoridade que trazem poder. Nosso poder está no nome de Jesus.

 

A mera menção do nome de Jesus vez após vez pode ser pouco mais que um ritual. Isto se torna em vã repetição semelhante ao que era praticado pelos fariseus e escribas nos tempos da Bíblia. O nome de Jesus não é algum a frase mágica.

Você deve ter fé no nome. Os discípulos enfatizaram isto depois que uma cura poderosa foi registrada em Atos 3. Pedro disse:

 

“Pela fé em o nome de Jesus, é que esse mesmo nome fortaleceu a este homem que agora vedes e reconheceis; sim, a fé que vem por meio de Jesus deu a este saúde perfeita na presença de todos vós” (Atos 3.16).

 

Nós temos mencionado o nome de Jesus como um ritual, porém nossa fé no nome tem sido débil.

 

Como isto pode ser corrigido? Como nós podemos nos mover mais além da mera repetição do nome de Jesus à fé no nome que produz o poder? A Bíblia diz:

 

“E, assim, a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” (Romanos 10.17).

 

Sua fé no nome de Jesus pode ser aumentada ouvindo o que a Palavra de Deus diz sobre esse nome. Através da Palavra você pode entender a autoridade do nome e as diretrizes bíblicas para o uso apropriado de Seu nome.

 

 

O NOME DE JESUS

 

O nome de Jesus é usado…

 

PARA A SALVAÇÃO:

 

O maior poder no nome de Jesus é o poder da salvação do pecado. É somente através de Seu nome que a salvação vem:

 

“Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mateus 1.21).

 

“E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos” (Atos 4.12).

 

“Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus” (João 3.18).

 

Você não pode receber o perdão de seus pecados de qualquer outra maneira – somente através do nome de Jesus. Você não pode ganhar o acesso a Deus exceto através de Jesus:

 

“Respondeu-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim” (João 14.6).

 

Quando apresentando o evangelho, é importante enfatizar que a salvação somente se realiza pelo nome de Jesus. A confissão do nome de Jesus é importante à salvação:

 

“Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” (Romanos 10.9-10).

 

O poder para tornar-se um filho de Deus é somente através do nome de Jesus:

 

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no seu nome” (João 1.12).

 

PARA A SANTIFICAÇÃO:

 

Não somente você se limpa do pecado e é justificado através do nome de Jesus, porém você se santifica também. A santificação é realizada pelo poder de Deus que continua trabalhando em você depois da salvação para permitir-lhe viver uma vida santa. Em I Coríntios 6 Paulo fala de dois males do pecado. Ele diz…

 

“Tais fostes alguns de vós; mas vós vos lavastes, mas fostes santificados, mas

fostes justificados em o nome do Senhor Jesus Cristo e no Espírito do nosso Deus” (1 Coríntios 6.11).

 

Antigamente estes coríntios viveram nestas práticas pecadoras. Agora eles poderiam viver uma vida santa através da santificação que veio pelo nome de Jesus.

 

NA ORAÇÃO:

 

“Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi e recebereis, para que a vossa alegria seja completa” (João 16.24).

 

“Até agora” significa “até aqui”. Até o tempo em que Jesus falou estas palavras, Seus seguidores não haviam pedido nada em Seu nome. A estas alturas Ele estabeleceu um a nova relação com eles. Ele lhes disse que eles pediriam as coisas a Deus em Seu nome:

 

“Naquele dia, nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes alguma coisa ao Pai, ele vo-la concederá em meu nome” (João 16.23).

 

Que promessa poderosa! Qualquer coisa que nós pedimos em Seu nome, nós receberemos. Porém, esta promessa tem que ser considerada juntamente com os outros princípios de oração ensinados na Bíblia. Nós nunca podemos isolar um versículo sobre um assunto sem considerar tudo o que se ensina sobre esse assunto na Palavra de Deus. A Bíblia ensina que você não pode pedir egoisticamente:

 

“Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres” (Tiago 4.3).

 

Você também deve estar vivendo honradamente perante Deus. Se você peca, você deve confessar e orar pelo perdão:

 

“Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros e orai uns pelos outros, para serdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo” (Tiago 5.16).

 

Você não pode continuar vivendo no pecado e simplesmente pensar que somente porque você pede no nome de Jesus você terá suas petições respondidas. São as orações dos homens e mulheres justos que se beneficiarão das bênçãos de Deus:

 

“Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito” (João 15.7).

 

Isto significa que SE você permanece em Cristo, você pode pedir e assim se fará. SE você está caminhando em obediência à Palavra de Cristo, então você pode pedir no nome de Jesus.

 

Orar no nome de Jesus também está sujeito à vontade de Deus. Jesus orou:

 

“Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, e sim a tua” (Lucas 22.42).

 

Na debilidade da carne humana, Jesus não quis sofrer. Ele quis que o cálice de sofrimento passasse longe Dele, porém Ele submeteu Seu querer à vontade de Deus.

Em algum as ocasiões claramente definidas nas Escrituras, nós sabemos qual é a vontade de Deus e exatamente como orar. Em outros assuntos nós podemos expressar nossa vontade, como fez Jesus, depois submeter nossa vontade à Sua vontade – tudo no nome de Jesus.

 

Petições feitos em o nome de Jesus estão sujeitas à vontade soberana de Deus. Nós pedimos segundo o raciocínio humano e nem sempre podemos discernir os propósitos mais elevados de Deus:

 

“Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos, os meus caminhos, diz o SENHOR, porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos” (Isaías 55.8-9).

 

Você nem sempre saberá a vontade de Deus e como orar exatamente. Quando você não está seguro da vontade de Deus, é uma boa ocasião para orar no idioma do Espírito Santo. O Espírito Santo intercede em nosso nome segundo a vontade de Deus:

 

“Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercede pelos santos” (Romanos 8.26-27).

 

 

2 NT: Nós cremos que a “livre vontade” do homem não é tão livre assim e que, em dadas situações, Deus pode agir contra a vontade do homem, se este é o Seu propósito e vontade.

 

Alguns divergirão deste ensinamento bíblico. Eles dirão que você pode pedir TUDO em nome de Jesus e isso se fará. Quando você ora arrogantemente sem submeter suas petições à vontade de Deus, Ele pode responder suas petições, porém pode não estar em seus melhores interesses. Ele fez isto com a nação de Israel:

 

“Concedeu-lhes o que pediram, mas fez definhar-lhes a alma” (Salmos 106.15).

 

Você também deve compreender que quando você pede algo em nome de outra pessoa, a vontade dela também entra na situação. Ninguém, através da oração em o nome de Jesus, pode empurrar algo a alguém se tal pessoa não o quer. Deus não age de acordo com a livre vontade2 do homem.  A vontade e a incredulidade de outra pessoa podem afetar sua oração por ela.

 

Em João 17, Jesus faz uma grande oração acerca dos homens que Deus lhe deu como discípulos. Todos estes homens receberam o mesmo treinamento. Eles viram os mesmos milagres. Eles receberam a mesma Palavra de Deus. Porém, ainda assim, um deles se perdeu. Judas tinha uma vontade própria, e apesar de tudo o que ele havia ouvido e visto, ele rejeitou a Palavra de Deus em incredulidade.

 

Jesus falou do poder de estar de acordo com outros na oração em Seu nome:

 

“Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus. Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, ali estou no meio deles” (Mateus 18.19-20).

 

Como parte da oração, você deve dar graças no nome de Jesus:

 

“Dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo” (Efésios 5.2).

 

Você também deve dar graças em nome de Jesus:

 

“Por meio de Jesus, pois, ofereçamos a Deus, sempre, sacrifício de louvor, que é o fruto de lábios que confessam o seu nome” (Hebreus 13.15).

 

Você aprenderá mais sobre o poder da oração no capítulo seguinte.

 

EM TODAS AS ÁREAS DO MINISTÉRIO:

 

O nome de Jesus deve ser usado em todas as áreas de ministério:

 

“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.18-20).

 

“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Marcos 16.17-18).

 

Segundo estes versículos, os ministérios seguintes serão feitos em o nome de Jesus:

Sinais e Maravilhas:

 

Todas os poderosos sinais e maravilhas devem ser feitos no nome de Jesus. Os discípulos oraram:

 

“Agora, Senhor, olha para as suas ameaças e concede aos teus servos que

anunciem com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para fazer curas, sinais e prodígios por intermédio do nome do teu santo Servo Jesus” (Atos 4.29-30).

 

Pregação e Ensino:

 

Jesus disse que todo o poder e autoridade foram dados a Ele e através deste poder Ele comissionou a Seus discípulos a pregar e ensinar o evangelho em Seu nome:

 

“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século” (Mateus 28.19-20).

 

“E lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém” (Lucas 24.46-47).

 

Porque eles reconheceram o poder no nome de Jesus, os inimigos da mensagem do Evangelho advertiram aos discípulos que…

 

“Mas, para que não haja maior divulgação entre o povo, ameacemo-los para não mais falarem neste nome a quem quer que seja. Chamando-os, ordenaram-lhes que absolutamente não falassem, nem ensinassem em o nome de Jesus” (Atos 4.17-18).

 

Porém, Pedro respondeu:

 

“Pois nós não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos” (Atos 4.20).

 

Os discípulos deram testemunho do poder de Deus. As coisas que eles haviam visto e haviam ouvido no nome de Jesus foram uma poderosa força levando-os a cumprir seus ministérios. Você não som ente deve ensinar EM o nome de Jesus, você deve ensinar

 

SOBRE esse nome:

 

“Quando, porém, deram crédito a Filipe, que os evangelizava a respeito do reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, iam sendo batizados, assim homens como

mulheres” (Atos 8.12).

 

Batismo:

 

Os novos convertidos devem ser batizados em água em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo: Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mateus 28.19).

 

“Eles, tendo ouvido isto, foram batizados em o nome do Senhor Jesus” (Atos 19.5).

 

Sobre a base desse nome, os crentes recebem o dom do Espírito Santo:

 

“Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo” (Atos 2.38).

 

 

PARA EXPULSAR DEMÔNIOS:

 

Demônios ou diabos são os anjos de Satanás. Anteriormente eles eram os anjos de Deus, mas se uniram a Satanás na rebelião contra Deus. Eles são agora parte das forças de Satanás ativas na terra de muitas maneiras malignas.

 

Os demônios podem entrar nos incrédulos e realmente podem possuí-os. Os poderes demoníacos podem oprimir aos crentes, porém não os possui. Seus poderes Satânicos devem ser quebrados em o nome de Jesus:

 

“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas” (Marcos 16.17).

 

Quando Paulo se confrontou com um demônio que possuía uma mulher, Ele disse ao espírito:

 

“Isto se repetia por muitos dias. Então, Paulo, já indignado, voltando-se, disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, eu te mando: retira-te dela. E ele, na mesma hora, saiu” (Atos 16.18).

 

Ensino detalhado sobre os demônios e como trazer libertação àqueles sob seu poder e influência se dá no curso do Instituto Internacional Tempo de Colheita, “Estratégias Espirituais: Um Manual de Guerra Espiritual”.

 

 

PARA MINISTRAR NO ESPÍRITO SANTO:

 

O Espírito Santo foi dado em o nome de Jesus:

 

“Mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito” (João 14.26).

 

Falar com novas línguas através do Espírito Santo se usa como um exemplo de Seus vários ministérios neste versículo:

 

“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas” (Marcos 16.17).

 

Todos os poderosos dons do Espírito Santo devem operar em o nome de Jesus. O dom de línguas é somente um dos muitos dons espirituais. Ele é usado aqui como representante de todos os ministérios do Espírito Santo visto que ele foi o primeiro experimentado quando o Espírito Santo foi dado.

 

PARA CURAR:

 

O nome de Jesus deve ser usado para ministrar a cura àqueles que estão enfermos:

 

“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Marcos 16.17-18).

 

“Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo, em nome do Senhor” (Tiago 5.14).

 

Quando Jesus morreu na cruz, Ele não somente sofreu por seu pecado, porém através de Seu sofrimento e morte, Ele obteve sua cura:

 

“Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53.5).

 

“Para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças” (Mateus 8.17).

 

“Carregando ele mesmo em seu corpo, sobre o madeiro, os nossos pecados, para que nós, mortos para os pecados, vivamos para a justiça; por suas chagas, fostes sarados” (1 Pedro 2.24).

 

Por que é tão fácil aceitar a salvação do pecado através de Seu nome, porém difícil para nós crermos na cura através do Seu nome?

 

Quando os discípulos encontraram a um homem coxo à porta do templo, Pedro disse:

 

“Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” (Ato s 3.6).

 

Pedro conhecia o poder no nome de Jesus. Ele sabia que estava ali curando nesse nome. Ele sabia que ele tinha a autoridade para usa esse nome – e como tinha! O poder por trás desse nome havia sido delegado a ele por Jesus.

 

Os fundos são importantes no trabalho do ministério, porém a falta de fundos não pode deter o verdadeiro ministério do poder de Deus. Pedro e João não tinham nenhuma prata ou ouro, porém eles continuaram ministrando através do poder do nome de Jesus.

 

Estes homens não tinham nenhum orçamento para anunciar seu ministério na cidade de Jerusalém. Porém, a cidade inteira se deu conta dele através da demonstração do poder de Deus. Você pode ler sobre isso em Atos 3 e 4.

 

Em muitos ministérios modernos, mais ênfase se coloca no levantamento de fundos do que no poder do nome de Jesus. A importância das finanças no ministério é reconhecida, porém a ênfase maior deve estar na demonstração do poder de Deus. O poder através do nome de Jesus não é afetado pela presença ou ausência das finanças.

 

PARA PROTEÇÃO:

 

“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas; pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Marcos 16.17-18).

 

O apóstolo Paulo foi mordido por uma serpente venenosa e não se feriu. Você pode ler sobre isso em Atos 28.

 

EM TUDO:

 

A Bíblia diz que tudo o que você fizer deve ser feito em o nome de Jesus:

 

“E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai” (Colossenses 3.17).

 

Quando você faz tudo em o nome de Jesus, inclusive uma tarefa simples de servir, ela se torna uma experiência espiritual poderosa. Você pode varrer o piso da igreja em o nome de Jesus. Você pode preparar a comida para sua família no nome de Jesus. Não é verdade que O QUE você faz é tão importante quanto o COMO você faz? É feito em o nome de Jesus?

 

 

SOFRENDO PELO NOME

 

“Lembrai-vos da palavra que eu vos disse: não é o servo maior do que seu senhor. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós outros; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. Tudo isto, porém, vos farão por causa do meu nome, porquanto não conhecem aquele que me enviou” (João 15.20-21).

 

Quando os discípulos sofreram devido ao evangelho:

 

“E eles se retiraram do Sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome. E todos os dias, no templo e de casa em casa, não cessavam de ensinar e de pregar Jesus, o Cristo” (Atos 5.41-42).

 

Os discípulos eram homens que arriscaram suas vidas pelo nome do Senhor:

 

“Pareceu-nos bem, chegados a pleno acordo, eleger alguns homens e enviá-los a vós outros com os nossos amados Barnabé e Paulo, homens que têm exposto a vida pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo” (Atos 15.25-26).

 

Ainda que Jesus prometeu proteção enquanto comprometidos no ministério, isto não significava que os discípulos não sofreriam. Pedro, Paulo e Silas foram todos aprisionados. Estes discípulos foram apedrejados e golpeados, e Paulo uma vez foi deixado para morrer pelos inimigos do evangelho. Quando seus ministérios estavam terminados, a maioria dos discípulos morreu como mártires por causa do Evangelho. O próprio Pedro, que foi sobrenaturalmente libertado da prisão depois morreu por causa do evangelho.

 

Hebreus 11 conta as histórias de grandes homens e mulheres que foram libertados através da fé. Porém, também registra as histórias daqueles que morreram na fé pelo evangelho quando seus ministérios foram completados. Pedro nos diz:

 

“Se, pelo nome de Cristo, sois injuriados, bem-aventurados sois, porque sobre vós repousa o Espírito da glória e de Deus” (1 Pedro 4.14).

 

Você aprenderá mais sobre o poder da comunhão de Seus sofrimentos no Capítulo Dezessete.

 

 

REINANDO PELO NOME

 

Através do nome de Jesus, você se torna parte do Reino de Deus:

 

 

“Dando graças ao Pai, que vos fez idôneos à parte que vos cabe da herança dos santos na luz. Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor” (Colossenses 1.12-13).

 

Como parte do reino de Jesus, você recebe uma herança de poder para reinar em vida:

 

“Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo” (Romanos 5.17).

 

Você deve reinar em vida através do nome de Jesus. Você deve reinar sobre as circunstâncias negativas da vida através do nome de Jesus. Você deve reinar sobre todas as forças poderosas do inimigo através do nome de Jesus!

 

 

A ÚLTIM A REFERÊNCIA

 

A referência bíblia final sobre o nome de Jesus se encontra no livro de Apocalipse. Fala do dia quando os crentes estarão na presença de Seu Salvador no novo céu e na nova terra:

 

“Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Os seus servos o servirão, contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele” (Apocalipse 22.3-4).

Anúncios

3 comentários sobre “O NOME DE JESUS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s