BATALHA ESPIRITUAL

BATALHA ESPIRITUAL

 

Vivemos em dias em que nunca se falou tanto sobre este tema. Isto é muito significativo pois sabemos que estamos nos “últimos dias” e Deus está instruindo a sua igreja a fim de adestrá-la para o combate final. A Batalha Espiritual é uma realidade que precisa, porém ser desempenhada com sinceridade e entendimento. Não podemos ficar alheios aos fatos espirituais, por outro lado, tomemos cuidados para não “espiritualizar” tudo caindo em um misticismo evangélico.

 

OS NÍVEIS DE LUTA

 

Para um melhor entendimento do assunto, podemos dividir a batalha espiritual em três níveis distintos de envolvimento:

 

a)      BATALHA ESPIRITUAL AO NÍVEL DE SOLO: (pessoa a pessoa), trata-se do nível mais comum, onde um ministro confronta uma pessoa possessa. Manda-se embora o espírito que a oprimia, quebra-se o vínculo e providencia-se o meio eficaz de enchê-la constantemente com a palavra. Nesta lição daremos maior ênfase a este nível, porque entendemos que é o nível básico, que todo cristão deve praticar.

 

b)      BATALHA ESPIRITUAL AO NÍVEL DE OCULTISMO OU INSTITUIÇÃO: Toda organização neste mundo que não está totalmente debaixo do controle de Deus está debaixo do controle de satanás. Ex.: governos, sindicatos, etc.

 

c)      BATALHA ESPIRITUAL A NÍVEL ESTRATÉGICO: É a batalha dirigida contra um principado que domina certa cidade, região ou nação. Quanto maior o nível de luta, maior o revestimento espiritual. Entendemos ser este um assunto delicado pois se poucos sentem-se chamados para este nível de luta, é bem menor o número que realmente encontra-se preparado e sabe como fazer. As autoridades deste assunto salientam que: 1- é preciso ouvir de Deus o tempo certo para desencadear esta luta; 2- é preciso estar seguro da cobertura espiritual; 3 – não se ataca sozinho, e sim em grupo com mesma intenção e entendimento; 4 – Luta-se até que haja uma clara liberação no reino espiritual. CUIDADO!!! Existe muita gente repreendendo principados sem saber o que está fazendo. Além dos quatro itens acima, não repreenda um principado a menos que seja clara a sua presença no ambiente, porque eles não são oniscientes nem onipresentes.

 

NÃO HÁ SALVAÇÃO SEM LIBERTAÇÃO

 

Cremos que a libertação é o primeiro passo para a salvação. Nem todos são possuídos por demônios, porém todos são influenciados. A libertação portanto, não é apenas expulsar um demônio, é também quebrar os vínculos, fechar as “brechas” presentes na vida do homem. Para que o influenciado não se afunde a ponto de se tornar um possesso e o liberto de um espírito, não fique pior quando voltarem outros sete demônios (Lc 11:24-26).

 

AS PORTAS DE ENTRADA DE DEMÔNIOS

 

Os demônios têm capacidade de possuir pessoas desprotegidas espiritualmente. Normalmente as portas para uma possessão são andar em pecado, falta de perdão, envolvimento com idolatria, feitiços, ritos, objetos consagrados, festas e etc. O propósito dos demônios ao possuir alguém é expressar-se através de um corpo físico. Exemplo: um espírito de sensualidade (Pomba Gira) irá expressar-se através de sexo ilícito, homossexualismo e etc. Muitos estilistas codificam essa sensualidade na moda por exemplo. Os demônios ao possuírem alguém levam a completa destruição antes de levá-lo a morte (relacionamento, finanças, saúde, sanidade mental, vida sentimental, vida moral, vida material, etc). Eles constroem fortalezas na mente, muitas vezes levando o oprimido a se envolver com seitas, filosofias. O objetivo final é levar-lhe a morte. Enquanto isso não ocorre esta vida escravizada e enganada será usada para prejudicar o maior número de pessoas possíveis. Hoje há no Brasil, uma guerra declarada entre demônios ( grande parte aquartelada em centros espíritas) e a igreja evangélica.

 

A HORA DA POSSESSÃO

 

É importante, quando possível, descobrir em que momento da vida o ministrado ficou possesso, porque muitas vezes feridas não tratadas continuarão sendo uma porta aberta mesmo depois de expulso o demônio. Os demônios podem entrar no ser humano ainda no ventre da mãe. Antes do nascimento o bebê é extremamente sensível as circunstâncias externas (Lc 1:39-44). Hoje a própria ciência afirma que um bebê já absorve tristeza, rejeição e etc. Os demônios podem entrar quando criança por um abuso sexual, divórcio, ausência de um dos pais, rejeição. Por fim, na idade adulta aproveitando-se da falta de perdão, fracassos financeiros, separações, palavras auto conferidas. Para se apossar da pessoa os demônios usam então diversas “portas espirituais”, ocasionalmente abertas quando enfrentam as situações da vida.

 

EXPULSAI OS DEMÔNIOS

 

Todo crente em Jesus Cristo tem autoridade e respaldo bíblico para expulsar demônios (Mc 16:17). No entanto a Bíblia deixa bem claro alguns princípios que devem  ser usados. A libertação deve ser ministrada em nome de Jesus (Mc 16:17 ; Fl 2:10), por alguém que esteja debaixo de cobertura espiritual (At 19:13-17), sendo submisso             (I Cor 11:10), que tenha a oração e o jejum como estilo de uma vida consagrada (Mt 17:21) e que busque santificar-se a cada dia fechando as brechas (I Pe 5:8). Ministrar sem devido preparo (Ef 6:10-18) só o exporá à resistência do espírito maligno ou à retaliação sobre sua vida. Além disso não subestime ou supervalorize o inimigo.  Tendo sucesso neste ministério, não busque a glória para si mesmo (At 12:21-23). Lembre-se que tirar um demônio ao contrário do que muitos dizem ou pregam não é libertar, só haverá libertação se a pessoa for cheia com a palavra de Deus (Mt 12:43-45) e se aprender a fechar as portas onde o inimigo tem acesso (Hb 12:1).

 

A VERDADEIRA LIBERTAÇÃO

 

Expulsar um demônio e não quebrar um vínculo é como varrer uma sujeira para debaixo de um tapete, mais cedo ou mais tarde aquela sujeira aparece de novo. Infelizmente boa parte dos ministros envolvidos em libertação é míope espiritualmente, ou seja, só enxergam a libertação até o momento que o demônio vai embora. Mas isso não garante a libertação, porque o demônio certamente voltará e se encontrar acesso, o segundo estado da vítima será pior que o primeiro. Dessa forma muitos ministros estão trabalhando a favor de satanás e não contra ele. Você não deve expulsar um demônio a menos que tenha disposição para adotar aquela vida ou encaminhá-la para alguém que o fará. Muitos agem como se estivessem tirando água de um barco furado ao invés de tapar o furo. Precisamos nos preocupar mais com o furo do barco que com a água que entrou.

 

QUEBRANDO AS AMARRAS

 

Quando Jesus ressuscitou Lázaro e ordenou que ele saísse para fora do túmulo  (Jo 11), a Bíblia diz que ele realmente recebeu vida, ressuscitou e saiu do túmulo, porém estava completamente atado com as faixas de pano com que o haviam envolvido no sepultamento. Ora, Jesus que o havia ressuscitado, não poderia também remover estas ataduras? É claro que sim! Mas ele deu esta tarefa ao povo. Hoje Ele continua ressuscitando mortos (Jo 11:25) e nós temos que desatar estas pessoas de todos os laços do diabo (Jo 11:44). Existem muitas coisas que não são pecados, mas são embaraços (Hb 12:1) e são tão destrutivos quanto o pecado.

Por diversas vezes Deus advertiu o seu povo a respeito de tais laços (Ex 23:32,33; 34:12 ; Js 23:13 ; Jz 2:3 ; II Tm 2: 20,26). Note que eles continuavam sendo povo de Deus (Dt 32:36), fora do poder de satanás (Dt 32:10), certamente salvos, herdeiros do céu, porém com a vida terrena comprometida porque ainda mantinham vínculos com satanás. Existem muitas pessoas que depois de se converterem ainda mantém vínculos com satanás ao contrário da igreja de Éfeso que os destruiu (At 19:18-20). Estes vínculos dão acesso aos demônios.

 

A)    – IDOLATRIA

Consagração do nome da pessoa a um santo, participação de cerimônias ou rituais (batizado, casamento, crisma, 1ª comunhão, procissão, novena, quermesse, acender velas, benzimentos, rezas, terços, ave-maria, fitinhas e etc)  participação  em festas idólatras (cosme e damião, padroeira da cidade, etc) carnaval (festa de carne) onde adora-se o rei momo (segundo a mitologia grega era um deus grego, linguarudo, falador e marginal que foi expulso do Olimpo e passou a andar com os homens para se divertir).

 

B)    – ESPIRITISMO / FEITIÇARIA

Consagração do nome de pessoas a entidades, visitas ao centro, ao cemitério, encruzilhadas, consulta aos mortos ou sessões espíritas, banhos espirituais, tais como: de arruda, sal grosso, pipoca, pétalas de flores, receber passes, benzimentos, simpatias, queima de incenso, mapa astral, quiromancia, numerologia, tarô, cartomancia, búzios, runas, cabala, bola de cristal, festas espíritas (como yemanjá nas praias de todo país) levar objetos, fotos, roupas ao centro, chutar ou zombar de despachos, trabalhos, batismo ou casamento no terreiro, rituais de sangue, horóscopo, etc.

 

C)    – NOVA ERA / ESOTERISMO

Jogar búzios, usar pirâmides ou cristal de rocha para cura ou proteção, medicinas alternativas, meditação transcendental, crença em gnomos, duendes, fechamento dos pontos chacras, superstições, uso de ferradura, trevo de quatro folhas, buda, figa, pé de coelho, yin-yang, escaravelhos, suásticas, elefante (para dar paz e prosperidade); coruja (para dar sabedoria, é simbolo do demônio Lilith  – Is 34:14); yoga, regressão, viagem astral, levitação, clarividência, controle da mente, hipnose, florais de bach, arte de Ikebama (veio da tradição dos seguidores de buda em preparar e oferecer flores a ele) cromoterapia (identificação de enfermidades pelo uso das cores).

 

D)    – RELIGIÕES, SEITAS E HERESIAS

Ler livros, assistir ou participar de movimentos como mórmons, testemunhas de jeová, a família, igreja messiânica, teosofia, Pl, Seicho-no-ie, hare-krishna, budismo, culto aos ancestrais, LBV, maçonaria, rosa cruz, am-way, gnose e etc.

 

CUIDADOS NA QUEBRA DE VÍNCULOS

 

O propósito é levar o ministrado a anular todo envolvimento (ritual, confissão, consagração) renunciar a toda prática maligna e quebrar todo vínculo adquirido através de objetos. Se os objetos identificados como vínculo são de uso exclusivo para o mal (pé-de-coelho, terço, trevo etc) deve ser destruído (At 19:19). Se por outro lado trata-se de algo útil (algum enfeite como conchas, elefante e etc) quebrar a consagração maligna e consagrar o objeto a Deus. Antes porém é necessário que o ministrado realmente saiba o que esta acontecendo. Outra regra inquebrável é: só remover o objeto com a total permissão do dono, ou donos se for casal.

 

O DIAGNÓSTICO

 

Quando vamos a um bom médico sofrendo determinado mal, antes de iniciar qualquer tratamento eles nos submeterá a uma entrevista.

Exemplo: Onde dói? Desde quando? Como é essa dor? Há outro sintoma? Alguém da família já sofreu ou sofre dessa dor? Já tomou algum remédio? Qual o efeito?

Essa entrevista permite ao médico determinar que tipo de mal é esse, qual a causa e como tratá-lo. Antes de ministrar, durante uma libertação, é importante fazermos também uma entrevista para ministrarmos de uma maneira precisa e específica com base no que diagnosticamos. Você tomaria algum remédio dado por um médico que não tem a mínima idéia do mal que você sofre. Você se submeteria a uma operação, cujo cirurgião não tem a mínima idéia de por onde começar a cortar. Porém infelizmente no campo da libertação estes médicos e cirurgiões existem e muitas vezes estão fazendo mais mal do que o bem. Aqui também é importante destacar algo muito importante: Se você não sabe guardar segredo, não entre em um ministério como este. Sair publicando algo de uma ministração sem autorização é pecado (Lv 19:16).

Anúncios

Um comentário sobre “BATALHA ESPIRITUAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s